Blog da ENGIE Solar

01.11.2016

7 dicas essenciais para evitar o desperdício de energia

Há poucos anos, o Brasil passou por uma das suas piores crises energéticas, que ainda tem reflexos até hoje nos elevados custos de energia. Entre os muitos motivos estão os fenômenos naturais extremos, como a falta de chuva no sudeste do país, tão destacada em 2014.

Entretanto, as condições climáticas não podem ser apontadas como as únicas causas. Além destes eventos acentuados, diversas decisões e atividades humanas já apontavam para a situação energética atual.

Foi o caso da redução das tarifas e a renovação das concessões e o atraso das obras de geração e transmissão. Outro fenômeno que agrava a situação energética do país é o aumento contínuo do consumo de energia, este não só Brasil, como no mundo todo.

O reflexo da crise pode ser sentido no aumento das contas de luz, que fez com que o consumidor repensasse seus gastos com eletricidade e passasse a adotar medidas de economia para evitar o desperdício de energia.

Conheça agora algumas recomendações para diminuir o consumo de energia e evitar o desperdício:

 

1. Substituir lâmpadas

As lâmpadas incandescentes estiveram presentes em quase 70% dos lares brasileiros até a sua proibição em 30 de junho deste ano, visando a diminuição do desperdício de energia. Uma proibição justa, afinal, em função de sua baixa eficiência energética, a troca destas por lâmpadas fluorescentes podem representar uma economia de até 60% em consumo elétrico no Brasil.

Outra opção ainda mais rentável e sustentável é o uso de lâmpadas de LED, doze vezes mais eficientes. Elas podem até ser um pouco mais caras, mas chegam a reduzir em 90% o consumo de energia com iluminação, emitem pouco calor e duram muito mais tempo.

Leia ainda: “Fluorescentes x LED: quais são as lâmpadas mais econômicas?”

 

2. Atenção com o ar condicionado

Com grande parte do país em área de domínio tropical, é muito difícil não utilizarmos o ar condicionado. Mesmo assim, algumas dicas podem otimizar o seu uso. Uma delas é evitar de abrir as portas do local onde o ar condicionado esteja ligado, evitando, assim, que o aparelho tenha que trabalhar mais para resfriar o fluxo constante de ar que adentra o recinto.

Outra dica é desligar o ar condicionado, já que, uma vez com o ar já refrigerado, o local demora para aquecer novamente. Esta providência pode levar a uma economia média de 10% nas despesas com eletricidade por dia.

 

3. Eficiência na iluminação

Não é somente a troca de lâmpada e o melhor uso do ar condicionado que pode levar a economia de energia. Reorganizar a disposição de um cômodo ou espaço de trabalho pode ser uma maneira eficiente de não gastar.

Fazer uma melhor distribuição das lâmpadas, deixar janelas livres, abrir o ambiente e pintar as paredes de cores claras são algumas dicas criativas que podem fazer toda a diferença para reduzir o consumo de energia.

Falando em eficiência na iluminação de forma criativa, há alguns anos, Alfredo Moser ganhou destaque nacional ao apresentar a lâmpada PET. A ideia criativa surgiu exatamente à época dos apagões no começo dos anos 2000. Sua invenção, que usa garrafa PET, água e cloro, possui uma potência que pode variar entre 40 e 60 Watts.

A ideia surpreendeu tanta gente que o mineiro de Uberaba firmou parceria com o MIT e o projeto já atinge um milhão de casas ao redor do mundo.

 

4. Medir o gasto de energia

A melhor forma de evitar gastos de energia é entendendo como este gasto se dá para depois ser feita uma análise de onde se pode economizar.

O medidor inteligente GreenAnt, por exemplo, oferece a gestão do consumo de energia em tempo real para consumidores e distribuidoras, com a possibilidade de verificar quais equipamentos estão utilizando mais ou menos energia.

desperdício de energia
Tela do software de gestão de consumo de energia GreenAnt

Esta tecnologia, conhecida como smart metering, tem como objetivo realizar um monitoramento contínuo da quantidade de energia consumida pela unidade consumidora por meio da interligação de usuário-concessionária.

Tecnologia já bastante difundida na Europa, a medição é feita em tempo real. Além dessa vantagem, alguns medidores também informam rapidamente a concessionária sobre eventuais faltas de abastecimento, favorecendo a resolução do problema.

 

5. Pesquise por selo de eficiência dos eletrodomésticos

Criado por meio de um Decreto Presidencial em 1993, o selo Procel indica qual o nível de eficiência energética dos produtos eletrodomésticos.

Aparelhos de categoria A são os mais eficientes, seguidos pelas categorias B, C, D e E. Essa medição é realizada por centros de pesquisa credenciados do governo.

Desperdício de energia
Selo Procel de Economia de Energia

A ideia é que empresas e residências passem a investir na melhoria da eficiência dos seus aparelhos, ajudando a reduzir o desperdício. Adotar esta atitude também representa uma vantagem para o consumidor, já que o barato pode sair caro todo mês na conta mensal de energia.

 

6.Tire aparelhos eletrônicos da tomada

Deixar a televisão ligada para “ter companhia”, ou deixar o computador em stand-by durante o dia todo parecem ser situações corriqueiras na sua vida? Então, é preciso repensar esse hábito. Manter aparelhos ligados, em modo stand-by ou simplesmente plugados na tomada pode representar até 10% do consumo na conta de luz. Segundo o Instituto Akatu, manter, por exemplo, um DVD em modo stand by por um mês chega a consumir energia equivalente para o seu uso regular por quatro meses.

No caso dos computadores, se a pausa entre um uso e outro for pequena – em torno de 15 minutos – o melhor é deixá-lo ligado, apenas desligando o monitor. Já no caso de pausas mais longas, a melhor opção ainda é desligar o aparelho para evitar o desperdício de energia.

 

7. Cuidado no banho

O chuveiro elétrico pode ser um dos maiores vilões quando o assunto é gasto de energia. Por isso, para economizar no quesito banho é importante considerar dois fatores. O primeiro é a potência do chuveiro escolhido, já que 6000 Watts equivalem a cerca de 100 lâmpadas acesas ao mesmo tempo. Em locais mais frios do país, os aparelhos no modo inverno podem representar ⅓ do consumo elétrico de uma casa.

O segundo é o tempo do banho, que além de economizar energia, também é uma ótima forma de economizar água.

Outra opção é optar por energia solar térmica, que ao contrário das placas fotovoltaicas de geração de energia elétrica, são responsáveis apenas pelo aquecimento da água.

Os altos valores das contas de luz têm motivado os consumidores a adotarem medidas de corte de gastos a fim de evitar o desperdício de energia. Muito mais do que fazer apenas bem ao bolso, economizar energia elétrica também é uma atitude sustentável e de respeito ao meio ambiente, além de ser uma forma de repensar o estilo de vida da sociedade atual. A mudança no mundo deve começar em todos nós e através dos nossos hábitos!

Quer receber mais dicas sustentáveis? Assine a nossa newsletter!

CompartilheShare on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterPin on Pinterest